Blog

Evitar as perdas ocasionadas pela cetose? TEM QUE MONITORAR !

Evitar as perdas ocasionadas pela cetose? TEM QUE MONITORAR !

Prof. Rafahel Carvalho de Souza*

Prof. Rogério Carvalho Souza*

*Departamento de Medicina Veterinária- PUC Minas-Betim

 

Sem sombra de dúvida, a rentabilidade é o grande desafio para os produtores de leite nos próximos anos. Os empresários rurais que querem permanecer na atividade e ganhar dinheiro precisam trabalhar de forma racional e tecnológica. Dentro das tecnologias, o manejo sanitário assume grande importância, já que a intensificação dos sistemas para maior produção aumenta os desafios sanitários.

Com o aumento dos riscos sanitários, o monitoramento da saúde dos animais é de suma importância. A maioria das patologias que acometem vacas produtoras de leite ocorre de forma silenciosa, ou seja, subclínica, como a cetose.

As perdas ocasionadas por animais que desenvolvem quadro de cetose subclínica incluem custos associados à medicamentos, mão-de-obra, diminuição na produção de leite e na taxa de concepção, demora no retorno a ciclicidade ovariana após o parto, falhas nas respostas em terapias convencionais, descarte e serviços veterinários. Além dessas perdas, detecção de aumento nas concentrações de corpos cetônicos, freqüentemente está associada com maior risco de desenvolver doenças características da produção leiteira, como mastite, metrite, laminite e deslocamento de abomaso.

Em estudo realizado por Mcartetal. (2014), foram relatados perdas no valor de U$ 127.00 e U$106.00, respectivamente para nulíparas e multíparas com quadro de cetose subclínica. Desse total, 32% foram devido a perdas na eficiência reprodutiva futura, 28 % com outras doenças concomitantes, 22% referente à produção de leite, 13% por descarte, 3% com tratamento, 2% mão-de-obra e 1% com diagnóstico. As perdas totais por cada caso de cetose nos sistema de produção foram de  U$ 361.00 e de U$ 279.00, respectivamente para nulíparas e multíparas. Deste total, 40% foi devido aos gastos direto com os quadros de cetose, 32% relacionado a ocorrência de metrite e 28% a deslocamento de abomaso.

Desta forma, o monitoramento e o diagnóstico precoce da cetose subclínica é de fundamental importância, já que sua ocorrência, ocasiona perdas diretas e indiretas como diminuição na produção de leite e risco para a ocorrência de outras patologias.

Com a evolução tecnológica alinhado a necessidade do setor, o aparelho portátil KETOVET tornou o diagnóstico de cetose subclínica mais fácil, rápido e de baixo custo. Os custos com monitoramento e diagnósticos representam menos de 1% das perdas ocasionadas por cetose em sistemas de produção de leite.

Mais informações:

31 3653-2025 • contato@ecodiagnostica.com.br

Compartilhe

LEIA MAIS

Outubro rosa pet

Assim como as mulheres, as cadelas estão propensas a desenvolverem neoplasia mamária. Fique atento! A […]

Você conhece o impacto da cetose subclínica e da hipocalcemia subclínica nos rebanhos leiteiros?

Em rebanho leiteiros, as doenças metabólicas do período de transição vem ganhando cada vez mais importância […]

Hepatite infecciosa canina

Hepatite infecciosa canina A hepatite infecciosa canina é provocada pelo adenovírus canino de tipo 1 […]