Blog

Como o cão lida com o estresse?

Como o cão lida com o estresse?

Quando os cães estão estressados, seus corpos produzem cortisol. Mas se o cão tem Hipoadrenocorticismo, essa produção é inibida. Isso pode ter sérios impactos no organismo do cão. O hipoadrenocorticismo (doença de Addison) em cães é menos comum que sua condição oposta, o hiperadreno corticismo (doença de Cushing – superprodução de cortisol), mas é igualmente importante reconhecer e gerenciar.

Então, você sabe o que é ou como identificá-la?

O Hipoadrenocorticismo é uma doença endócrina causada por uma produção inadequada de hormônios pelas glândulas supra-renais. Os dois hormônios mais importantes são o cortisol e a aldosterona. O cortisol é de vital importância para respostas saudáveis ao estresse, e também é importante na regulação de muitas funções do corpo. A aldosterona regula os níveis de potássio e sódio.

O diagnóstico de hipoadrenocorticismo é difícil, os sintomas tendem a ir e vir e variam em frequência e gravidade. Uma crise addisoniana aguda é uma emergência com risco de vida. Um histórico de sinais clínicos intermitentes inexplicáveis, como letargia, vômito, diarreia, hiporexia, poliuria e polidpsia, o hipoadrenocorticismo pode ser a causa.

Como o Hipoadrenocorticismo se desenvolve?

O Hipoadrenocorticismo ocorre quando o tecido nas glândulas supra-renais que produz cortisol e aldosterona é destruído. A causa primária mais provável desse dano é a doença autoimune, mas o tecido também pode ser destruído por tumores (primário ou metastático), doença granulomatosa ou após uma overdose de mitotano, medicamento usado para tratar o hiperadrenocorticismo em cães. O hipoadrenocorticismo secundário pode ocorrer após a suspensão do tratamento prolongado com cortisona, uma deficiência isolada de ACTH, hipófise hipativa ou um tumor hipofisário não funcional. Esta doença é mais comum em cadelas de meia idade e várias raças têm uma predileção genética (Poodle, Standard Poodles West Highland White Terriers, etc).

Hormônios que podem ser medidos na abordagem de diagnóstico para cães com suspeita de hipoadrenocorticismo incluem cortisol, concentrações de aldosterona, ACTH endógeno e renina. Embora a maioria dos cães com hipoadrenocorticismo tenha uma deficiência de cortisol e aldosterona, testes diagnósticos de rotina dependem da medição das concentrações de cortisol. As concentrações de aldosterona são menos comumente medidas porque o ensaio não é facilmente encontrado em laboratórios.

Há várias metodologias para dosagem de cortisol, mas somente a ECO Diagnóstica possui o teste de cortisol em sistema Point of Care por imunoensaio de fluorescência no Brasil. O Vcheck é o equipamento que permite a dosagem de cortisol canino em 20 minutos com 50 uL de soro. Um grande diferencial, que aproxima o médico veterinário aos métodos diagnósticos para agilizar a rotina clínica e garantir a satisfação do tutor.

Fonte: J. Catharine Scott-Moncrieff – Canine And Feline Endocrinology, ed4, 2015.

Compartilhe

LEIA MAIS

Outubro rosa pet

Assim como as mulheres, as cadelas estão propensas a desenvolverem neoplasia mamária. Fique atento! A […]

Você conhece o impacto da cetose subclínica e da hipocalcemia subclínica nos rebanhos leiteiros?

Em rebanho leiteiros, as doenças metabólicas do período de transição vem ganhando cada vez mais importância […]

Hepatite infecciosa canina

Hepatite infecciosa canina A hepatite infecciosa canina é provocada pelo adenovírus canino de tipo 1 […]