Blog

Importância do Soro Amilóide A (SAA) em gatos

Importância do Soro Amilóide A (SAA) em gatos

Em indivíduos sadios, a concentração de SAA é muito baixa no soro e plasma,  mas aumenta quando um fenômeno patológico ocorre como infecções, danos teciduais ou distúrbios inflamatórios. Uma concentração aumentada de SAA é uma reação não específica a vários estágios da doença e pode ser utilizado para indicar e avaliar respostas inflamatórias em doenças relacionadas a infecções e danos teciduais.

QUANDO USAR SAA:

VANTAGENS DE USAR SAA:

SAA reflete o estado da inflamação de forma mais rápida e eficiente do que o WBC (contagem de células brancas – Leucócitos) ¡ SAA aumenta até 50 vezes em níveis normais durante a reação inflamatória

Doenças que podem ser monitoradas com SAA:

 

13 APLICAÇÕES CLÍNICAS DO SAA:

1.       Detectando Trauma Oculto /Perfuração: Animais sem sinais clínicos de hemorragia interna ou perfuração intestinal por trauma podem ser detectados com o SAA.

2.       Sequência de Mensuração: Tendência de aumento ou diminuição do SAA como resultado em série as medidas fornecem mais informações do que a medição única.

3.       Sinais clínicos não específicos e Hemograma completo, bioquímica. Mas SAA aumentado:

• Exames mais detalhados podem ser necessários (Como Raios-X, Ultra-Sons, Testes Rápidos)

4.       Febre, Anorexia e Letargia pós cirúrgica: Monitorar SAA todos os dias. As complicações cirúrgicas podem ser detectadas. Drogas adicionais / Hospitalização

5.       A Contagem de Células Brancas (WBC) permanecendo alta pós-cirurgia: Decida a hospitalização com o resultado da SAA, independentemente da contagem de WBC. A SAA reflete o estado da doença de forma mais rápida e eficiente do que o WBC.

• Dentro do intervalo de referência em 7 dias pós-operatório.

• Quando o SAA elevado continuar: hospitalização.

6.       Monitorando doença, progresso e prognóstico: SAA mantido elevado

• Tratamento agressivo pode ser necessário.

• Hospitalização pode ser conveniente.

• Diagnóstico PIF (Peritonite Infeciosa Felina)

• Alto SAA: indica fortemente PIF.

• Quando FCoV Ab (Coronavirus Felino) e Teste de Rivalta derem positivo.

7.       Quando suspeita de infecção grave e o teste de sensibilidade microbiana indisponível. Diagnóstico terapêutico: SAA elevado após administração de antibióticos:

• Mudança para outros antibióticos e hospitalização.

8.       Detectar problemas de saúde sem sinais clínicos: SAA Alto: Exame completo e hospitalização necessária.

9.       Teste de FCoV Ab ( Coronavirus Felino) & Rivalta positivo: SAA Alto: Forte indicativo

10.   Sinais respiratórios de causas desconhecidas: Aumentos de SAA: Doença pulmonar infecciosa ou inflamatória: Antibióticos, Esteróides, tratamento com AINES e Fluidoterapia.

Não aumenta PCR: Sinais respiratórios relacionados à insuficiência cardíaca podem ser suspeitada.

11.   Monitoramento de várias doenças infecciosas: Monitorar a eficácia do medicamento com a mensuração consecutiva da SAA.

• SAA continuamente alto: Tratamento Medicamentoso, Fluidoterapia ou Hospitalização.

12.   Aumento proporcional do PCR com gravidade da Insuficiência Renal Crônica (IRC): Aumento do SAA:

• Protocolo de tratamento diferente dependendo do estágio da doença.

• Diminuição da possibilidade de recuperação bem-sucedida.

13.   Diagnóstico de Artrite: Febre contínua e SAA alto, respectivamente, mas sem melhora com tratamento medicamentoso.

• A aspiração articular pode revelar artrite.

 

Compartilhe

LEIA MAIS

Outubro rosa pet

Assim como as mulheres, as cadelas estão propensas a desenvolverem neoplasia mamária. Fique atento! A […]

Você conhece o impacto da cetose subclínica e da hipocalcemia subclínica nos rebanhos leiteiros?

Em rebanho leiteiros, as doenças metabólicas do período de transição vem ganhando cada vez mais importância […]

Hepatite infecciosa canina

Hepatite infecciosa canina A hepatite infecciosa canina é provocada pelo adenovírus canino de tipo 1 […]