Blog

Quer um exame precoce para avaliar seu paciente felino?

O Soro Amilóide A (SAA) é uma proteína de fase aguda e α-globulina que é produzida no fígado em resposta a citocinas inflamatórias. É considerada uma das principais proteínas da fase aguda em espécies domésticas, exceto em suínos, em que baixos valores estão presentes em animais normais, com aumentos acentuados (100-1000 vezes) ocorrendo dentro de 24 a 48 horas com inflamação aguda. As concentrações também diminuem rapidamente após a resolução da inflamação, tornando a medição do SAA uma ferramenta útil para monitorar o curso da inflamação em um animal individualmente.

O Soro Amilóide A funciona como uma proteína inflamatória e imunomoduladora, induzindo secreção inflamatória de citocinas, quimiotaxia de neutrófilos e mastócitos e modula as respostas imunes. O SAA media esses efeitos, ligando-se a vários receptores nas células. Embora o fígado seja o principal local de síntese, a produção extra-hepática de SAA ocorre (por exemplo, nos pulmões, glândula mamária, útero, sistema gastrointestinal. A síntese hepática ocorre em resposta a citocinas inflamatórias (como as interleucinas 1 e 6) e é considerada parte da resposta imune inata. Em animais, o teste para SAA é predominantemente realizado como um marcador sensível de inflamação.

Como indicado acima, a medição do SAA é geralmente usada para detectar inflamação subclínica e sua resolução. O Vcheck é um analisador por fluorescência, que permite a dosagem de SAA felino em apenas 5 minutos, com apenas 5uL de soro. Permitindo ao veterinário fazer acompanhamento do seu paciente, com dosagens seriadas rápidas e práticas.

As aplicações relatadas em literatura para mensuração de SAA são:

Inflamação sistêmica e localizadas: Altas concentrações de SAA são observadas em condições de inflamação induzida ou ocorrendo espontaneamente e as concentrações diminuem com a resolução. O SAA não é específico para a causa da inflamação. Mas é um ótimo marcador precoce de saúde.

Amiloidose: Concentrações persistentemente altas de SAA podem levar à síndrome da amiloidose sistêmica.

Entre em contato com a ECO Diagnóstica e saiba como ter a dosagem de Soro Amilóide A no seu negócio.

 

Referências:

Eckersall PD, Bell, R Acute phase proteins: Biomarkers of infection and inflammation in veterinary medicine. The Veterinary Journal 185 (2010) 23–27.

Tamamoto T, Ohno K, Takahashi M, Nakashima K, Fujino Y, Tsujimoto H. Serum amyloid A as a prognostic marker in cats with various diseases. Journal of Veterinary Diagnostic Investigation 25(3) 428–432.

Compartilhe

LEIA MAIS

Outubro rosa pet

Assim como as mulheres, as cadelas estão propensas a desenvolverem neoplasia mamária. Fique atento! A […]

Você conhece o impacto da cetose subclínica e da hipocalcemia subclínica nos rebanhos leiteiros?

Em rebanho leiteiros, as doenças metabólicas do período de transição vem ganhando cada vez mais importância […]

Hepatite infecciosa canina

Hepatite infecciosa canina A hepatite infecciosa canina é provocada pelo adenovírus canino de tipo 1 […]