Blog

Variáveis pré-analíticas na qualidade do exame laboratorial

Variáveis pré-analíticas na qualidade do exame laboratorial

Os exames laboratoriais são de extrema importância para chegar a um diagnóstico definitivo, eles auxiliam na maioria das decisões clínicas, mas o resultado de um exame laboratorial confiável e de qualidade depende muito da fase pré-analítica que envolve entre outros fatores, a coleta da amostra. A fase analítica e pós analítica também fazem parte de um diagnóstico confiável.

A fase pré-analítica é a fase que antecede a análise do material biológico e inicia-se na solicitação do exame pelo médico veterinário, preparação do paciente, coleta, identificação da amostra, armazenamento e envio. Os maiores erros ocorrem nessa fase. Uma amostra com má qualidade irá, consequentemente, gerar resultados duvidosos. Se bem executada, essa fase garante que as amostras mantenham a integridade e os resultados serão mais confiáveis.

Ao se iniciar a análise laboratorial propriamente dita, inicia-se a fase analítica. Os processos envolvidos nesta fase dão continuidade diagnóstico iniciando a fase pós analítica com a obtenção e a interpretação dos resultados e a emissão do laudo técnico.

Dicas para minimizar os erros pré-analíticos:

Para evitar erros, faz-se necessário implantar uma padronização dos processos de obtenção e manipulação de amostras biológicas para todos os profissionais envolvidos nos processos.

Além de uma amostra coletada e processada corretamente devem ser utilizadas metodologias específicas para análises veterinárias e os resultados obtidos devem ser analisados associados ao exame clínico do animal. Assim, é possível obter um resultado confiável e de qualidade.

 

REFERÊNCIAS:

Guimarães, A.; Wolfart, M.;Brisolara, M.; Dani, C.; O laboratório clínico e os erros pré-analíticos, Rev HCPA 2011;31, Páginas 5-72. Disponível em http://www.seer.ufrgs.br/hcpa/article/viewFile/13899/11507

Acesso em 07/08/2018

ANVISA, Regulamento Técnico para funcionamento de Laboratórios Clínicos. Resolução n. 302 de 13 de outubro de 2005. Disponível em: https://www20.anvisa.gov.br/segurancadopaciente/index.php/legislacao/item/rdc-302-de-13-de-outubro-de-2005

Acesso em 08/08/2018

Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial – SBPC/ML. Coleta e preparo da amostra biológica, SBPC/ML, 2014, Páginas 33-39. Disponível em: http://www.sbpc.org.br/upload/conteudo/livro_coleta_biologica2013.pdf

Acesso em 08/08/18

 

Compartilhe

LEIA MAIS

Outubro rosa pet

Assim como as mulheres, as cadelas estão propensas a desenvolverem neoplasia mamária. Fique atento! A […]

Você conhece o impacto da cetose subclínica e da hipocalcemia subclínica nos rebanhos leiteiros?

Em rebanho leiteiros, as doenças metabólicas do período de transição vem ganhando cada vez mais importância […]

Hepatite infecciosa canina

Hepatite infecciosa canina A hepatite infecciosa canina é provocada pelo adenovírus canino de tipo 1 […]